Neusa Baptista 2

O “projeto Pixaim”, realizado pela escritora Neusa Baptista, comemorou em 2016 os seus dez anos. Para marcar a data, várias ações foram realizadas em escolas municipais de Cuiabá. Nesta quarta-feira (29), acontece a última iniciativa deste ano. Trata-se da oficina “Cabelo de preta”, que ocorrerá na Escola Municipal de Educação Básica Agostinho Simplício de Figueiredo, Bairro Poção, das 13h às 16h.

Baptista também comemora os dez anos do seu livro infanto-juvenil “Cabelo Ruim? A história de três meninas aprendendo a se aceitar”. Publicado pela Carlini e Caniato Editorial, a obra já ultrapassou a marca dos 10 mil exemplares vendidos, sendo um dos livros com maior procura da editora.

Durante as ações deste ano, o “projeto Pixaim” passou pelas escolas municipais Orlando Nigro (bairro Pedregal), Agostinho Simplício (bairro Poção) e Zeferino Leite de Oliveira (bairro Pedra 90) com três vivências do projeto: uma roda de conversa sobre a lei 10.639/03, com a assessora da Secretaria Municipal de Educação de Cuiabá, Carmem Cinira Leite; vivência Pedagogia do Olhar, com Neusa Baptista, e vivência Cabelo de Preta, com a trançadeira Catende Malam Domingos, natural de Guiné-Bissau.

Neusa Baptista

As atividades foram oferecidas a alunos de 8 a 11 anos e professores, com o intuito de estimular a discussão sobre a questão das relações raciais na escola, onde as crianças geralmente sofrem ofensas de cunho racial. Ao longo do projeto, iniciado em 11 de junho, foi utilizada a segunda versão do livro “Cabelo Ruim”, intitulada “Bia, Tatá e Ritinha em: Cabelo Ruim? Como assim?”.

“Cabelo Ruim”

A descoberta da beleza própria e a auto-aceitação são o assunto central deste livro. A história da amizade entre três meninas negras e pobres, que enfrentam as manifestações preconceituosas com relação ao seu cabelo crespo e vão, aos poucos, aprendendo a aceita-lo, a brincar com ele e amá-lo do jeito que é. Surgem novos penteados e com eles também novas formas de ver a si e ao outro, coragem e ousadia para fazer e ser diferente.

Você pode adquirir a obra clicando AQUI.

“Bia, Tatá e Ritinha”

Quem já é fã do livro “Cabelo Ruim? A história de três meninas aprendendo a se aceitar” (TantaTinta, 2007) vai rever esta aventura, desta vez em quadrinhos. Quem não as conhece vai conhecer: as meninas Bia, Tatá e Ritinha, que ganharam novas versões pelas mãos do ilustrador André Zan. A história ganha ainda mais vivacidade graças à linguagem ágil e tom cômico dos quadrinhos, facilitando a leitura e convidando a refletir de forma lúdica sobre discriminação racial no Brasil.

Você pode adquirir a obra clicando AQUI.

Sobre a autora

Neusa Baptista Pinto é jornalista e desenvolve ações culturais e educacionais com o uso de seu livro “Cabelo Ruim? A história de três meninas aprendendo a se aceitar” (TantaTinta, 2007), no qual se baseia este livrinho em quadrinhos. Neusa atua em produção cultural e participa de iniciativas de valorização da negritude e de combate à discriminação racial.

(Da Assessoria)