Diamantino de Geoge H. Langsdorff (1827/28), Francis Castelnau (1844/45) à redescoberta dos diamantes – 1930/40

Livro disponível apenas para download gratuito, neste site. O livro trata de aspectos e momentos específicos de duas grandes expedições científicas que vieram ao Brasil no século XIX: a do barão de Langsdorff (1821/29) e a do conde de Castelnau (1843/47). Ambas, por caminhos e com propósitos distintos, estiveram em Mato Grosso e alcançaram a Vila de N. Sra. da Conceição de Alto Paraguai Diamantino, que é o objeto central da publicação. Na sua última parte os autores tecem reflexões sobre a fase da história de Diamantino conhecida como de crise econômica (1850/1940). Propõem ao leitor relativizar a ideia da estagnação e o convidam a refletir sobre aquele período como de reordenamento das formas de viver de seus moradores.

O elo perdido

R$66,00
O elo perdido – o primeiro livro de poesias de Mato Grosso, trás a tona e analisa sob o ponto de vista literário e histórico a obra Harpejos Poéticos, originariamente estruturada como uma antologia das poesias do autor Joaquim José Rodrigues Calháo, publicadas em jornais da época entre 1877 a 1884 e que compiladas, deram origem ao livro, impresso na Typographia d’O Matto-Grosso, em 1891.

As utopias e resitências de Pedro Casaldáliga: Escritos escolhidos

R$48,90
A obra traz uma importante contribuição ao campo da crítica e história literárias, permitindo o acesso integral à personalidade de Dom Pedro Casaldáliga (1928-2020), seja pela diversidade de abordagens e pelo trabalho sistemático na conjunção de fontes sobre o tema, seja pelo conjunto de poemas, entrevistas e dados relacionados à vida e à obra de Casaldáliga:  bispo, poeta e com expressiva atuação política, cujo horizonte era o povo da região brasileira do Araguaia – isto é, os pobres, os posseiros, os negros e os índios.

Arqueologia Brasileira: a pré-história e os verdadeiros colonizadores

R$320,00
A obra, que pode servir como manual da produção arqueológica brasileira: quem a estuda, intituições, legislação, história; apresenta panorama detalhado, fartamente ilustrado, de pesquisas, realizadas pelo autor, um dos maiores arqueólogos em atividade no país, ao longo das duas últimas décadas, bem como de estudos desenvolvidos por outros pesquisadores, que expõem o passado pré-histórico no Brasil em seus aspectos mais diversos: físico, demográfico, patológico, tecnológico, sociológico, econômico, seus padrões de ocupação do território e até ritualístico, atravez de estudos de diversos sítios arqueológicos, com relatos de suas localizações, estruturas, análises dos aterfatos encontrados, técnicas utilizadas e muito mais.

Doenças e práticas de cura: o olhar de um naturalista setecentista

R$59,00
A obra traz uma série de contribuições à historiografia. Contém, na íntegra e com nova leitura paleográfica, um importante documento do século XVIII, “Enfermidades endêmicas da capitania de Mato Grosso”, de autoria do naturalista Alexandre Rodrigues Ferreira, sobre a etapa mato-grossense da extraordinária expedição científica que ele chefiou, entre 1783 e 1792, pela Amazônia e parte do Centro-Oeste brasileiro. A partir das descrições e análises de Rodrigues Ferreira sobre as doenças, epidemias e práticas de cura que encontrou em Mato Grosso, a autora constrói um leque de investigações históricas que ao final convergem na composição de um quadro histórico rico e multifacetado tanto do pensamento científico e da política colonial lusitana no final do XVIII, quanto das patologias, da vida cotidiana e das práticas populares de cura.

Uma Devassa na Minas

R$25,00
O presente texto, desvenda-nos um mundo vasto e complexo que se desenvolveu, no século XVIII, em busca do ouro, misturando minhotos, índios e negros. Esse mundo decorre não só em espaços recônditos do sertão brasileiro, gerando aldeias e vilas, mas também numa dimensão outra, ainda mais extensa: o imaginário popular, povoado de miragens ambiciosas mas também de pequenos fantasmas que perseguiam o dia a dia daqueles que, direta ou indiretamente, viviam do fascínio de captar o ouro. Como se constituía essa sociedade? Em que âmbito se davam suas relações interpessoais e quais eram as cosmogonias de tão miscigenada população? Um farto e rico acervo documental nos revela o cotidiano mais íntimo das famílias que se constituíram como mato-grossenses e os caminhos que percorreram.

Prefeitos de Poxoréu – Biografias

R$50,00
Prefeitos de Poxoréu não é tão somente a síntese biográfica daqueles que lideraram o Poder Executivo de Poxoréu, Mato Grosso, mas também um acervo de informações sobre a política, os políticos e o cenário que os envolve. Além da história de vida dos prefeitos, o livro resgata estatísticas eleitorais e resultados de eleições.

Bicas, fontes, chafarizes, Caixa d’água Velha e a água de beber no espaço urbano de Cuiabá, 1790 – 1886

R$51,00
Neila Maria Souza Barreto convida-nos a caminhar pelo espaço urbano de Cuiabá de outrora para observarmos como os rios, os córregos, as fontes e os chafarizes, indistintamente, saciavam a sede dos escravos, dos pobres livres urbanos e dos homens e mulheres da elite, apontando-nos os instrumentos que eram utilizados para o transporte e posterior uso da água, como as carroças, as pipas e os bois. Leva-nos também ao que denominou "Espaços Privilegiados de Água Potável Urbana", onde as primeiras penas d’água finalmente foram instaladas em Cuiabá, já no final do século XIX, especificamente no ano de 1886.

As Misericórdias das duas margens do Atlântico Portugal e Brasil (séculos XV-XX)

R$28,00
A historiografia recente, mais a portuguesa que a brasileira, tem dado grande importância às Santas Casas, transformando estas instituições em objeto de estudo, dentro e fora das universidades. O movimento já tinha nascido antes da comemoração do V Centenário da Misericórdia de Lisboa, mas acelerou-se com ele e ultrapassou-o, continuando a ser objeto de estudo de muitos investigadores. No Brasil, a temática tem sido menos trabalhada na historiografia mais recente, embora se mantenha como tema de trabalho de alguns investigadores.