2

A coleção “Autores Mato-Grossenses”, composta de cinco livros, foi lançada em 2012 na Assembleia Legislativa. Publicada pela Carlini e Caniato, os autores publicados são: Aclyse Mattos com a obra intitulada “Festa”, Rômulo Nétto com “Serapião Fala Mole” , Luciene Carvalho traz “Ladra de Flores”, Habel dy Anjos apresenta “Fatossíntese – Cantos e Contos de um Lugar” e Stela Oliveira com “Gatos da Noite”.

Alguns dos títulos já estão esgotados na editora. Outros, porém, podem ser encontrados com seus autores ou na sede da Carlini & Caniato. Veja abaixo um pouco sobre cada uma das obras. Ao final da matéria, está as informações de contato da editora.

“Festa”, de Aclyse Mattos

capa-carlini-caniato-festa-aclyse-mattos

“Festa” é o livro em que o cuiabano Aclyse Mattos celebra a musicalidade da poesia. Nesta obra ele volta à cena com uma poesia cheia de namoros com a música. Nesse affair com outras artes, que faz dele um bom versatilizador, surge“Festa”. Rimas e ritmos juntam-se a um vocabulário cuiabano e de alguns povos indígenas, como de estilo cuiabano também é, às vezes, a sintaxe do poeta que nasceu nesta terra.

Aclyse Mattos nasceu em Cuiabá, dias antes da cheia de 59 que inundou o Porto. Poeta nas horas cheias e professor nas horas vagas. Além de Cuiabá, morou também no Rio de Janeiro e São Paulo. Professor do Departamento de Comunicação da UFMT, mestre pela ECA-USP e doutorando pela UFMG.

“Festa” é o livro em que celebra a musicalidade da poesia. Seus outros livros de poemas são “Assalto à mão amada” (1985), “Papel Picado” (1987), “Quem muito olha a lua fica louco” (2000). Também escreve contos (O Sexofonista, 1986), literatura para crianças (Natal Tropical, 1990), letras de música e roteiros. Participou de diversas revistas e antologias nacionais e internacionais de poesia.

“Serapião Fala Mole”, de Rômulo Nétto

capa-carlini-caniato-serapiao-fala-mole-romulo-netto

Para quem não sabe, Serapião nada mais é do que o alter ego do autor. Um semeador do amor aos livros. Sempre com o pensamento certo, reto e uma convicção eterna de que o livro pode fazer bem à humanidade. Assim Romulo Nétto vai tecendo seus caminhos pela Literatura Brasileira, cativando o leitor com suas lógicas, muitas vezes encaradas como loucuras, a respeito do homem do sertão e de tudo aquilo que está no seu entorno.

O homem matuto na profundidade de sua sabedoria, a fauna, a flora e as veredas são temas constantes em seus escritos. Um escrevinhador nato, um contador de estórias cativantes, assim podemos definir esse autor tão apaixonado pela poética da vida. Como “Serapião Fala Mole”, Romulo alimenta-se de ventos e de sonhos.

Romulo Nétto é mineiro de Paracatu, onde nasceu em 3 de março de 1946. Graduou-se em Comunicação Social – Jornalismo – pela Universidade de Brasília, em 1971. Exerceu funções na Universidade Federal de Mato Grosso, no período de 1974 a 1993. Veja mais obras do autor clicando AQUI.

“Ladra de Flores”, de Luciene Carvalho

capa-carlini-caniato-ladra-de-flores-luciene-carvalho

“Ladra de Flores” é o mais recente acréscimo de qualidade à expressiva obra da poetisa e escritora Luciene Carvalho. Assim a autora percorre e declara sua alma, expressando frio, calor, cores, quedas, ventos, volúpias… Um ciclo completo do mundo de Luciene ao redor da vida, sempre em transformação, sempre influenciando sensações, visões, reflexões que são sensivelmente lapidadas florescendo em pura poesia.

Luciene Carvalho é escritora e poeta. Publicou “Conta-Gotas”; “Sumo da Lascívia”; “Aquelarre” ou “O Livro de Madalena”; “Porto” (Instituto Usina); “Caderno de Caligrafia” (Cathedral/Unicen); “Teia” (Teia 33); “Devaneios Poéticos – coletânea” (EdUFMT), e “Cururu e Siriri do Rio Abaixo”. Estas obras conquistaram prêmios e condecorações: Flamp 92; Flamp 93; A Crítica 2001 e Moção de Aplausos da Câmara Municipal de Cuiabá. Como diretora Luciene participou dos documentários: Congo de Nossa Senhora do Livramento; Fronteiras do Imponderável e Filhos de São Benedito: nos ombros do andor.

Sendo uma declamadora que escreve, parte importante do seu trabalho se faz em shows poéticos em que une figurino, efeitos cênicos e trilhas musicais para oferecer sua poesia viva e colocá-la a serviço da emoção da plateia. Foram eles: “Poesia, Versos e Cordas”; “Pá de Cal”; “Brinquedo de Esperar”; “Jardim em Verso”; “Mulheres de Vênus”; “A Escola Literária do Samba”; “Canto do Porto” e “Insânia”, dentre outros.

“Fatossíntese – Cantos e Contos de um Lugar”, de Habel dy Anjos

capa-carlini-caniato-fatossintese-habel-dy-anjos

A obra “Fatossíntese – Cantos e Contos de um Lugar” conta com um precioso conteúdo que transborda em emoções. O autor Habel dy Anjos, com sua sensibilidade aguçada, vem dando belas contribuições no complexo da literatura mato-grossense.

Abel Santos Anjos Filho (Habel dy Anjos) é mineiro de Uberaba, especialista em Semiótica, professor e coordenador de ensino de graduação do curso de Licenciatura em Música do Departamento de Artes da UFMT. Habel é renomado pesquisador e divulgador da viola de cocho no Brasil e no exterior, sendo escolhido, em 1995, como um dos personagens do programa “Gente que Faz”, da Rede Globo em parceria com o Bamerindus.

Habel tem outros três livros publicados e é compositor de diversas obras musicais de caráter erudito, sacro e popular. Dentre elas, destacam-se o “Hino à Bandeira de Mato Grosso”, “Sinfonia Pantaneira” (primeira obra do mundo para Viola de cocho e orquestra), e as músicas dos Hinos dos municípios de Campo Verde e Mirassol D’Oeste.

“Gatos da Noite”, de Stela Oliveira

capa-carlini-caniato-gatos-da-noite-stela-oliveira

“Gatos da Noite” é escrito por Stela Oliveira, uma jovem de 18 anos, que usa a linguagem literária como forma de expressão para dar vazão aos fortes sentimentos que a assombram ou a deleitam. Com boa capacidade de síntese, Stela consegue falar de seus sentimentos com pureza utilizando palavras contundentes.

Stela Oliveira nasceu em Cuiabá em 1994, cursa Publicidade e Propaganda na UFMT e tem como hobby predileto a leitura. Nas horas vagas noturnas escreve poemas e contos. Usa a linguagem literária como forma de expressão para dar vazão aos fortes sentimentos que a assombram ou a deleitam.

Stela manifestou sua tendência literária por volta dos oito anos, escrevendo pequenas histórias que inventava para passar o tempo, sozinha em casa. Aos doze anos começou a escrever os poemas da obra “Compostela”, publicada em 2008 pela Carlini & Caniato Editorial. Por este livro Stela foi homenageada em sessão da Câmara Municipal de Jaciara.

Carlini & Caniato Editorial

Rua Nossa Senhora de Santana, 139 – sala 3 – Edifício Acará
Bairro Goiabeira – Cuiabá – Mato Grosso
CEP.: 78020-122
Tel.: 65 3023-5714