Exibindo 121–124 de 124 resultados

As Misericórdias das duas margens do Atlântico Portugal e Brasil (séculos XV-XX)

R$28,00
A historiografia recente, mais a portuguesa que a brasileira, tem dado grande importância às Santas Casas, transformando estas instituições em objeto de estudo, dentro e fora das universidades. O movimento já tinha nascido antes da comemoração do V Centenário da Misericórdia de Lisboa, mas acelerou-se com ele e ultrapassou-o, continuando a ser objeto de estudo de muitos investigadores. No Brasil, a temática tem sido menos trabalhada na historiografia mais recente, embora se mantenha como tema de trabalho de alguns investigadores.

Cuba de Che

R$80,00
Cuba de Che – 50 anos depois da Revolução é o resultado de uma viagem a Cuba pelo fotógrafo Izan Petterle e o jornalista Frans Glissenaar, entre abril e maio de 2008. Juntos, o jornalista holandês e o fotógrafo brasileiro seguiram o percurso da guerrilha de Che Guevara através do país, durante a revolução cubana. Os textos da publicação nos conduzem pelo presente e passado, viajando por Cuba após 50 anos do término da revolução. O texto inclui transcrições históricas e ainda relatos extraídos do Diário que Che escreveu durante a campanha revolucionária. As fotografias transcendem o documental. São arte, texto visual dentro de um contexto. Saciam a curiosidade imediata e instigam o leitor ao prazer da reflexão.

Diário de Uma Quase

R$37,00
Diário de uma quase é o segundo livro de contos de Paulo Sesar. Os contos descrevem personagens contemporâneos com sensações incômodas e, talvez, deslocadas de uma galeria de almas tristes diante das (in)capacidades das relações com as formas estabelecidas de mundo. No entanto, no ponto onde as possíveis experiências ruins e traumáticas ultrapassam o, imaginado, individual e tornam-se coletivas e, de algum modo, belas.

A Japa e Outros Croni-contos Cuiabanos

R$45,00
São 28 textos em prosa, nos quais se apresenta a magnitude da prosa de Silva Freire, um dos grandes nomes da literatura mato-grossense sendo um dos primeiros autores mato-grossenses que voltou sua atenção para o social. O “dialeto cuiabano” de seus personagens é distinto da linguagem do narrador. Este gênero híbrido, é denominado pelo autor como croni-conto-poema.