Captura de Tela 2016-07-27 às 00.46.34

Elementos inesperados, que não combinam entre si e que parecem se excluir, se unem na pena de Juliano Moreno no livro de contos “O açougueiro” para traçar um retrato paradoxal, mas verdadeiro, do real. A obra, publicada pela Carlini e Caniato Editorial em 2006, está disponível para todo o Brasil no site da editora.

O autor de “O açougueiro” escreve desde a fronteira enigmática que separa a tragédia do clichê, a dor da banalização da dor. Night clubs, inferninhos, travestis, lavagem de dinheiro e abatedouros disfarçam sentimentos extremos e vidas agoniadas.

“Este limite entre o sofrimento e a venalidade produz um mundo de dejetos e de almas descartáveis, em que as diferenças se anulam e a vida se esfria e se banaliza. Por vezes, a dor toma formas ainda mais medonhas, por exemplo, quando Juliano se aproxima dos meninos de rua, presos em um universo sem saída, de suicídios, decadências e overdoses. Margens do Brasil, mas também fronteiras do literário, ali onde o real parece suplantar qualquer possibilidade de imaginação, onde quase se basta”, escreveu o jornalista, escritor e crítico literário José Castello sobre a obra.

Ainda de acordo com Castello, a escrita de Juliano Moreno evoca, ainda, a estética limítrofe de um cineasta valente como Pedro Almodóvar, com seus filmes sobrecarregados de objetos de consumo e de cores berrantes. “Ele faz, assim, um jogo esperto com o clichê que, em vez de levar à piada fácil, conduz aos subterrâneos da alma. É o que ocorre no relato sobre o atentado de 11 de setembro. Na fuga, a personagem Carlos do conto “A Sereia?!” tropeça em uma mulher gorda, que poderia ter saído de um filme de Almodóvar, mas na verdade foge da morte. A mudança de sexo também é almodovariana, já que tira da tragédia o imprevisto”, finaliza o crítico.

Sobre o autor

Juliano Moreno é bacharel em direito; professor universitário, mestre em história pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), escritor, produtor cultural do Projeto Palavra Aberta e editor da revista de poesia “Fagulha”.

Onde comprar

Você pode adquirir o livro “O açougueiro”, de Juliano Moreno, no site da Carlini e Caniato Editorial. Clique AQUI para acessar.