img-20161018-wa0003

Aos 82 anos, a poetisa Marilza Ribeiro está em plena atividade. Este ano, a escritora lançou a obra “Balaio Amarelo”, vencedora do Prêmio Mato Grosso de Literatura. Mas isto não é tudo. Em novembro, Marilza apresenta ao público seu oitavo livro: “Acordes para uma menina cantar”.

O lançamento do novo livro, que será publicado pela Carlini e Caniato Editorial, já tem data prevista: 22 de novembro, no Sesc Arsenal, a partir das 19h. Outros escritores também estarão presentes com mais novidades literárias.

De acordo com Marilza Ribeiro, “Acordes para uma menina cantar” é um livro de poesia destinado aos adolescentes. “O principal assunto das poesias são os encantos da infância, quando brincávamos nos quintais e havia aquele encantamento da vida antiga. Hoje as crianças moram em apartamentos, já não brincam em quintais como nós fazíamos”, disse a poetisa.

A ideia da obra surgiu durante um lançamento literário. Na ocasião, Marilza queria que seus netos, na época adolescentes, fizessem uma apresentação. Ela então escreveu alguns poemas para que os jovens lessem no evento. “Foi então que eu vi que podia escrever para adolescentes e comecei a reunir alguns poemas neste estilo”.

“Acordes para uma menina cantar” tem pouco mais de 70 páginas, todas elas com poemas que possuem “a voz da criança que fala dentro da gente”. “As pessoas crescem e se tornam muito sérias, rígidas e, por vezes, esquecem de sonhar. Em um dos poemas, falo de uma criança que está em um balanço tentando alcançar uma nuvem com a ponta dos pés. A possibilidade de tocar o céu é a ambição da criança. É essa a essência do livro”, contou Marilza.

O novo livro de Marilza Ribeiro é uma das obras contempladas no edital de incentivo à cultura da Prefeitura de Cuiabá.

Sobre a autora

Marilza Ribeiro nasceu em Cuiabá, em 1934. Descobriu o interesse pela literatura aos 15 anos. Os primeiros trabalhos foram reflexões sociais publicadas no jornal “O Estado de Mato Grosso”. A escritora graduou-se em Psicologia pela Faculdade de Ciências e Letras São Marcos, em São Paulo.

Foi presidente da Associação de Mulheres de Mato Grosso. É facilitadora de Biodança; escritora, desenhista e poeta. Foi homenageada na Literamérica (2006), em Cuiabá, Mato Grosso. Marilza é considerada uma das matriarcas entre as mulheres que escrevem poesia.

Seus livros “As aves e poetas ainda cantam” e “Balaio Amarelo” estão disponíveis no site da Carlini e Caniato Editorial. Clique nos títulos para ser direcionado ao site.

(Da Assessoria)