Oscar Ramos Gaspar

(Na foto: Oscar Ramos Gaspar)

Publicada pela Carlini e Caniato Editorial, o lançamento da biografia “Osvaldo Sobrinho: com toda a educação”, escrita pelo jornalista Oscar Ramos Gaspar, já tem data marcada. O evento acontecerá na terça-feira (9), no salão nobre do Sesc Arsenal, às 19h.

Formado em economia, estudos sociais e direito, Osvaldo Sobrinho começou sua carreira como professor na escola Couto Magalhães, em Várzea Grande. Pouco depois, continuou a carreira na Escola Estadual de Segundo Grau ‘Pedro Celestino’ e na Escola Técnica Federal. Aos 26 anos, assumiu, como titular, a Delegacia Regional de Educação e Cultura de Cuiabá.

Captura de Tela 2016-08-02 às 16.53.17

Na carreira política, Sobrinho foi eleito deputado estadual em 1978 pela Arena, sendo reeleito em 1982, já pelo PMDB. Elegeu-se novamente em 1986, desta vez para deputado federal constituinte. Foi também secretário estadual de Educação, e no exercício de interinidades, senador e governador.

Já Oscar Ramos Gaspar, 63 anos, nasceu no Paraná. Em 1975, foi transferido para Cuiabá como correspondente do Estadão em Mato Grosso. Atualmente, reside em Campo Grande (Mato Grosso do Sul). Formado em jornalismo, trabalhou como colaborador da revista Veja, do Diário de Cuiabá, dentre outros veículos de comunicação.

Veja abaixo a entrevista conduzida pela Carlini e Caniato Editorial com Oscar Ramos Gaspar, autor de “Osvaldo Sobrinho: com toda a educação”:

Carlini e Caniato Editorial: Como você descreveria sua obra?

Oscar Ramos Gaspar: Mais do que um perfil biográfico de uma figura proeminente da história de Mato Grosso dos últimos cinquenta anos, ‘Osvaldo Sobrinho: Com Toda Educação’ é um recorte sobre o panorama socioeconômico desse período, sempre tendo como referência o papel que o biografado desempenhou. Nesse sentido, o livro se propõe como incursão pioneira sobre o tempo/espaço em que Mato Grosso viveu – ainda vive – profundas transformações. O importante papel que Osvaldo Sobrinho teve nesse processo, nas diferentes funções que desempenhou, é o ‘mote’ para o que chamo de ‘sobrevôos’ sobre os paradoxos, contradições e realizações extraordinárias de um período muito fecundo. Por isso, espero que o livro, que não se arvora a ser mais que uma biografia, seja uma janela, um aceno instigante, para que pesquisadores da academia se dediquem a estudar, nas mais diferentes abordagens, a ocupação do chamado Nortão de Mato Grosso, em especial, e a história da Educação no estado, para ficar em dois temas que certamente renderiam importantes estudos.

Carlini e Caniato Editorial: Por que escolheu fazer uma biografia sobre Osvaldo Sobrinho?

Oscar Ramos Gaspar: Eu conhecia Osvaldo Sobrinho como a grande maioria: sabia de sua carreira política, das funções mais importantes que teve etc. Porém, a partir de nossas primeiras conversas me dei conta de que estava diante de um personagem especial, que teve papel destacado – decisivo em vários momentos – na construção do Mato Grosso contemporâneo. E o melhor: esse personagem está vivo e ativo. Então mergulhei fundo. Posso dizer que foi um desafio prazeroso. Se me saí bem ou não, de novo, só o leitor dirá.

Carlini e Caniato Editorial: Trabalhou por quanto tempo neste livro?

Oscar Ramos Gaspar: Ao todo foram três anos, com as intermitências de praxe, pelos compromissos do biografado. Naturalmente, durante esse tempo continuei fazendo outros trabalhos. Porém, na hora de escrever mesmo foram seis de dedicação praticamente exclusiva.

Carlini e Caniato Editorial: Um trecho memorável?

Oscar Ramos Gaspar: Eu citaria, não propriamente como memorável, mas como emblemático, o relato sobre o empenho extraordinário trio Osvaldo Sobrinho, Irmã Soledade e Padre Geraldo, para enfrentar a verdadeira emergência humanitária representada pro milhares de crianças, filhas dos colonos pioneiros, que eram despejadas nas glebas do sertão mais profundo sem escola num raio de centenas de quilômetros.

Destacaria ainda o episódio dramático que marcaria, paradoxalmente, o começo do fim do banditismo nas frentes pioneiras da região de Colíder: o trucidamento de ‘Louro’, surpreendido em sua fazendola, torturado e seviciado – inclusive castrado – por seu ex-sócio Raimundo Alves Costa com a cumplicidade de policiais e até de um médico. A denúncia desse barbarismo, feita por Osvaldo Sobrinho e Louremberg Rocha, apontaria para o fim da impunidade e do medo que dominavam as glebas. Parece coisa do ‘Velho Oeste’, mas aconteceu há quatro décadas.

Serviço

Lançamento da biografia “Osvaldo Sobrinho: com toda a educação”

Data: Terça-feira, 9 de agosto

Horário: Das 19h às 21h30

Local: Salão nobre do Sesc Arsenal

Endereço: Rua Treze de junho, s/n Centro Sul, Cuiabá – MT.

(Da Assessoria)