Carlini & Caniato

  • Serena

    R$35,00

    Por meio de curvas sinuosas e reveladoras do eu-lírico os poemas em Serena, falam de sentimentos íntimos, profundos e femininos. Percorrem laços familiares, amores, dores e sexualidade.

  • Mato Grosso por Rai Reis (pré-venda)

    R$165,00

    A obra Mato Grosso, de Rai Reis, apresenta imagens multifacetadas de seu Estado natal, o terceiro mais extenso do país, localizado na região Centro-Oeste. Na capital, Cuiabá, pulsa o coração do continente sul-americano, pois se encontra exatamente no ponto equidistante entre os oceanos Atlântico e Pacífico. O centro geodésico da América do Sul foi calculado pelo Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon durante suas expedições, onde se encontra um monumento, o obelisco da Câmara dos Vereadores.
    Cada fotógrafo tem características peculiares, que o distinguem dos demais. Rai Reis aprecia registrar a rica tradição cultural mato-grossense, pois alguns aspectos vêm se alterando e mesmo tendendo ao desaparecimento nos núcleos mais urbanizados. Ele afirma que, à medida que nos afastamos de Cuiabá em direção a certas comunidades do interior, “é incrível, pois cada 10 km rodados implicam um retorno simbólico no tempo de cerca de dez anos; o dialeto cuiabano é tão marcado que é preciso apurar os ouvidos para entender o que se diz; os costumes antigos e as festas estão ali, preservados, uma coisa linda de se ver!”. E completa: “Gosto de fotografar pessoas em situações típicas, fazer esse registro etnográfico, porque não sabemos até quando isso vai durar…”.
    De um grande volume de fotografias tiradas a partir de 2010, Rai Reis cuidadosamente selecionou imagens especiais, em qualidade e conteúdo, para compor esta obra. O critério aleatório, com certeza, incorporou o lado emocional do artista, ao se lembrar de momentos únicos, flashes de instantes registrados em sua trajetória profissional.

  • Mascote do caos

    R$40,00

    Mascote do caos  traz “cronicontos” divertidos que misturam ficção e realidade. Assim como sugere o título, um cãozinho, fofo e simpático, mas que “toca o terror” subvertendo a ordem das coisas, os textos de Lucas provocam no leitor(a) essa mesma sensação, pois em sua maioria partem de uma linguagem jornalistica para relatar situações bizarras de forma questionadora, criativa e divertida. Para além dos textos muito bem humorados há a sagacidade da crítica ao modo de vida da sociedade contemporânea.

  • Gula d’água

    R$30,00

    A voracidade poética de Luciene Carvalho em Gula d’Água expressa a sede por amor de uma mulher insaciável, Sede que não se satisfaz com pouco. O amor que permeia a obra se trata de um movimento torrencial. As três partes, intituladas cama, mesa e banho, nos direcionam para o cotidiano feminino, pois seja na cama, na mesa ou no banho sempre é tempo para o amor.

    O amor apresentado na poética luciênica em Gula d’Água, apesar de toda a voracidade, é carregado de intimidade e afetividade, que são demarcadas pelo espaço de convivência em todas as estações do ano, em todas as fases da lua.

  • Doze contos – interpretando a miragem

    R$30,00

    Doze contos – interpretando a miragem evidencia ciclos femininos, pois marca na divisão dos meses do ano a desconstrução da imagem da mulher fixada em regras de comportamentos de cunho moralizante. Luciene rompe com a ideia homogeneizante do ser mulher ao trazer personagens que representam situações cotidianas porém, que nos fazem refletir sobre a situação social da mulher abandonada, da mulher que vive em função do outro, da sexualidade, do incesto e do trabalho. Nesse sentido, refletir sobre a escrita da mulher é se deparar com a revelação do não dito no decorrer da história.

  • A medusa de aço

    R$40,00

    Os poemas captam purezas e impurezas da urbe, onde o passado é irrelevante e o futuro pode muito bem ser o imediato desdobramento do presente que se torna polimorfo, movediço, inseguro e, ao mesmo tempo, incomumente encantador.

  • Dias de águia

    R$46,00

    Após uma sequência de acontecimentos desfavoráveis, um homem de meia-idade se sente limitado à sua vida monótona, padrão e sem perspectivas. Incorformado, subitamente decide dar um basta, fugir do passado e buscar novos rumos.

    Em sua viagem sem planos de volta, passa por várias cidades do Brasil, vivenciando situações desafiadoras. Mesmo sentindo enorme dificuldade para lidar com seus conflitos internos, depara-se com uma invejável facilidade de adaptação e incrível espírito empreendedor em negócios de sucesso.

    Mas toda sua aventura não basta, o que de fato sempre procura é sua real identidade e valorização da autoestima.

  • Cheiro de Terra

    R$35,00

    “Este livro foi escrito dentro do Pantanal de Mato Grosso. São pequenos textos que revelam um pouco de um ambiente complexo, da vida dos moradores e a maneira como vivem no interior do nosso estado. O morador da cidade enxerga o ribeirinho ou o trabalhador  rural como um inculto. Nada mais enganoso. Para quem não conhece e deseja aprender sobre essa terra, convido, se houver oportunidade a prosear com as pessoas dessas regiões, de onde retirei a inspiração para publicar essas histórias e causos”.

  • Darkness

    R$60,00

    Foi durante uma madrugada, após um inesperado e indesejável encontro que terminou com a morte do seu assediador, quando Sofia decidira tentar fazer a diferença. Em um país feito o Brasil, onde tudo parece ser fácil demais, ela jamais podia ima- ginar, que, por trás de tantas impunidades, havia alguém a observando. Não era uma disputa intelectual. Sofia decidiu dar início à uma guerra, contra os criminosos do país e também contra si mesma. Maldita revolta… Nem mesmo ela esperava ter chegado onde chegou.

  • Agnus Dei – A voz dos sinos

    R$40,00

    Era um tempo cinza, às vésperas do Golpe Militar de 1964, mas em São João Del-Rei, nas Minas Gerais, o badalar dos sinos das igrejas marcava o compasso e o descompasso de uma história poética, sinistra e, sobretudo, surreal. A Voz dos Sinos é um relato-testemunho do personagem Julian, filho caçula do comendador Coriolano Gregory, pai tirano, cínico, sensual, abusado e com um passado obscuro.

    A trama envolve mortes, suspense e mistérios sincronizados com o ressoar dos sinos da cidadezinha encravada em um cenário colonial que se esvai afunilando tudo para um desfecho ilógico dos fantasmas de uma antiga Ordem de Cavalaria Medieval.

  • Agnus Dei – No mar de agua doce

    R$40,00

    No Pantanal, o ritmo das águas rege a vida e os sentimentos em um oceano adocicado pela paixão. O romance vivenciado na década de 1930, no bucólico arraial de Poconé, fundado em 1777, a 100 quilômetros de Cuiabá, capital de Mato Grosso, é uma grande paixão que se fundiu aos mistérios da maior planície alagada do Planeta.

    Agnus Dei – No Mar de Água Doce resgata o cotidiano rural pantaneiro que se perdeu no tempo. A cultura, a culinária e o modo peculiar do falar são os temperos da lida com o gado, das conduções de boiadas, caçadas, pescarias, histórias de assombração, tramas, vidas que chegam e que vão. Ficção e realidade dividem a mesma canoa imaginada pelo autor.

  • O elo perdido

    R$62,00

    O elo perdido – o primeiro livro de poesias de Mato Grosso, trás a tona e analisa sob o ponto de vista literário e histórico a obra Harpejos Poéticos, originariamente estruturada como uma antologia das poesias do autor Joaquim José Rodrigues Calháo, publicadas em jornais da época entre 1877 a 1884 e que compiladas, deram origem ao livro, impresso na Typographia d’O Matto-Grosso, em 1891.

  • Descalços

    R$35,00

    Os versos do poeta põem o dedo na ferida. Aprofundam-se na temática do menino abandonado à margem do sistema. A crueza e as mazelas que afligem todos aqueles que estão relegados à própria sorte, imersos num sitema exclusionário e estratificador.

  • Guia de identidades da Cuiaba contemporanea

    R$40,00

    O guia busca se aproximar de manifestações compreendidas como patrimônio cultural mate­rial de Cuiabá, independentemente de serem registradas formalmente como tal, na tentativa de se conhecer e re­conhecer, na cidade, identidades contemporâneas cuiaba­nas. Não é uma questão de patrimônio vinculado apenas a expressões formais ou “legítimas”, mas incluir na leitura outras formas de expressões culturais ainda não apontadas oficialmente.

    O guia é um exercício de olhar sobre a espacia­lização, de busca pelas pérolas que a cidade guarda, um exercício para a compreensão das identidades da Cuiabá contemporânea pelos caminhos da urbanização, arquitetura e cultura.

  • Chão batido

    R$39,90

    Chão batido, é um livro de poesias que exala aromas de lavanda, alecrim, arruda e comidas feitas em grandes panelas, servidas aos visitantes, concebido em um eu lírico da preta velha, benzedeira e griô, tecido em fonemas da oralidade em “pretuguês” (termo criado pela militante negra, professora e feminista Lélia Gonzalez). A autora faz uso dessa linguagem popular em forma poeticamente pulsante e cuidadosamente pensada que permite, na leitura, adentrar nas religiões afro-brasileiras, no sagrado da escrita e nas histórias negras. Chão Batido banha, benze e cura aqueles que se debruçarem sobre esse terreno de riquezas incomuns, pouco vistas na literatura.

    Prefácio de Cristiane Sobral, multiartista, escritora, poeta, atriz, professora e mestre em Artes.

  • Geopoesia pantaneira

    R$35,00

    Através da obra o autor liberta a mente em poemas diversos, porém unidos em um conjunto, chuleados por um fio sinuoso como as curvas dos corixos do Pantanal. O caminho dessa artéria principal, a aorta pantaneira, o rio Paraguai, e todo o bioma com sua fauna, flora, geografia e especialmente uma cultura tão peculiar estão presentes em seus poemas e na alma de José Pedro.